domingo, 29 de junho de 2008

Conceição

Uma das criaturas mais estranhas que conheci na minha vida foi a Conceição. A Conceição era empregada doméstica a tempo inteiro lá em casa (antigamente chamava-se “criada” ) e era natural de Câmara de Lobos. Teria vinte e tal anos e eu uns 12, e adorava minha irmã mais nova que tinha 4 anos. Até aqui tudo normal, só que tinha a particularidade de não mastigar “porque lhe metia nojo”, e por isso engolia a comida inteira. Para nós (eu e meus irmãos) era um divertimento vê-la comer quando a refeição incluía batata cosida. Parecia que estávamos no circo, mas confesso que havia vezes que me faltava o ar só de ver o tamanho da batata que ela metia na boca e engolia. O Pescoço da Conceição assemelhava-se àqueles pescoços de aves marinhas que engolem peixes inteiros. Os meus pais nunca acharam grande piada a esta questão, porque temiam que algum dia a Conceição pudesse engasgar-se, e começaram a obrigá-la a mastigar a comida . Era outro momento de diversão para nós.-Vá, mastiga Conceição. Dizia minha mãe.-Não consigo, tenho nojo. Choramingava a ConceiçãoNestes momentos fazíamos plateia para rirmo-nos com as caretas da Conceição a tentar mastigar a comida para perder “o nojo”. Mas conseguiu ao fim de alguns tempos.Um dia minha mãe fez um Pudim Francês, que leva 24 ovos, deixou-o no frigorífico, e fomos todos passear e almoçar fora. A Conceição ficou em casa a fazer as suas tarefas e obviamente tinha o seu almoço. Quando chegámos para o jantar e minha mãe foi buscar o dito pudim para a sobremesa... ele tinha desaparecido, ou seja a Conceição, que já mastigava, tinha despachado de uma só vez ...24 ovos ao almoço. Minha mãe ficou assustada durante 2 dias à espera que o fígado da Conceição rebentasse, mas não rebentou, afinal era de Câmara de Lobos, como ela fazia questão de nos lembrar.A Conceição, alguns anos mais tarde, saiu de nossa casa para casar. Meus pais foram os padrinhos de casamento, e lá foi ela viver para a sua tão amada Câmara de Lobos com o marido. Nunca deixou de nos visitar, principalmente pelo encanto que tinha por minha irmã mais nova, e numa dessas visitas chegou a nossa casa cheia de nódoas negras e escoriações. Questionada por minha mãe sobre a razão de tal aspecto, lá confessou que o marido tomava “um copito a mais” e de vez em quando lhe “chegava a roupa ao pêlo”. A indignação de minha mãe foi enorme, e disse à Conceição (que fazia o que minha mãe lhe dizia.... até a mastigar) “da próxima vez que teu marido chegue a casa bêbado e te queira bater, dá-lhe com o que tiveres na mão”.Não passou nem uma semana, e lá estava a Conceição em nossa casa...chorosa, pedindo ajuda a minha mãe.-Que se passou Conceição? Perguntou minha mãe.-Fiz o que a senhora disse, meu marido veio para bater-me e eu dei-lhe com o que tinha na mão-Fizeste bem, verás que não voltará a incomodar-te-É esse o meu problema senhora, chorava a Conceição-Explica-te mulher, não querias que ele deixasse de bater-te?-Sim, queria, mas não queria que ele morresse-Que aconteceu Conceição, estás a deixar-me nervosa-Quando ele vinha para bater-me o que eu tinha na mão era a panela de pressão, e dei-lhe com a panela na cabeça... está no hospital em coma há 3 dias. (Convém lembrar que as panelas de pressão daquela altura deviam pesar no mínimo uns 10 kg)Obviamente minha mãe ficou em pânico, porque se o homem morresse se sentiria moralmente responsável por aquele “assassinato”. Mas o homem não morreu, e não só não morreu como deixou de beber e de bater na Conceição tornando-se num marido exemplar. A alimentação esteve sempre muito ligada à vida desta Conceição, começou com o nojo de mastigar e acabou por salvar a pressão do casamento com uma panela... de pressão.

20 comentários:

blueminerva disse...

Ora viva!
Enquanto te lia, tentava visualizar a criatura a engolir fosse o que fosse sem mastigar... que coisa aflitiva! E mais, como é que se pode saborear sem mastigar o que se come?!?!
Naturalmente que depois de aprender o processo de mastigação compreende-se o facto da Conceição ter se enfartado de Pudim Françês... devia de estar divinal. E divinal está este teu post (once again) e eu feliz por teres voltado... tu precisavas era de um empurrãozinho para retornar a escrita.
Beijocas muitas e aquele abraço

Shinobi disse...

Amigo Nuno,

como dizia esse grande filósofo português, de seu nome Quim Barreiros:

"Eu sou um mestre de culinária
E sei enfeitar a travessa
Vou comprar uma panela de pressão
Para ver se eu cozinho mais depressa"

Eh, eh, eh!

Grande abraço e já agora também para a Conceição ;) !

Nuno disse...

Viva blueminerva,

Pois era, fazia falta um empurrãozinho de uma pessoa como tu.
A verdade é que tenho viajado muito e o tempo para ir ao baú era pouco, mas tentarei não fechar o blogg, ainda que os posts sejam menos frequentes. Gosto sempre ...que gostes. A tua opinião conta.

Tenho saudades. Beijos e aquele abraço.

P.S. mandei-te um mail no dia do teu aniversário, que não sei se recebeste, explicando-te porque não consegui que estivessemos mais tempo juntos quando estive na Madeira.

Nuno disse...

Amigo Jorge,

É para que vejas como a filosofia popular funciona. Neste caso a panela de pressão serviu para "despressionar" mais depressa.

Se encontrar a Conceição dar-lhei o abraço da tua parte...e um grande beijo meu também receberá.

Abraço

vita disse...

Tens aqui um sitio bastante engraçado. pelo que li estás indeciso em continuar ou não.
Claro que é uma opção tua, mas tenho pena..tens aqui umas histórias muito giras..e vou ler tudo..aos bocadinhos.;)

Beijo

Nuno disse...

Vita,

Obrigado, respondes...com ternura. Também acho que aos poucos custa menos...

beijo

blueminerva disse...

Querido Nuno,
Recebi o e-mail e esbocei um sorriso com o mal entendido. Eu parti de princípio que estavas ocupado, e tu provavelmente estranhaste o facto de eu não ter respondido ao sms... mas está esclarecido.
Beijocas muitas e um grande abraço

Nuno disse...

Blueminerva,

Eu que brinquei com a situação de ter várias Nadias no meu telemovel, porque estava convencido que não tinha nenhuma (nunca me lembrei desta antiga colega italiana, até porque já não falávamos há mais de 1 ano)...quando mandei o sms mandei para a Nadia que me apareceu... infelismente era a Pagliuca...
(Pelo sim, pelo não já a apaguei).

Muitos beijos e Abraços

BaBy_BoY_sWiM disse...

Formidavel história...

coitado do homenzinho... mas como bom português que somos, tudo funciona à pancada e começou a funcionar à pancada! Lol

Nuno disse...

Grande Eduardo,

Bem aparecido. A verdade é que minha mãe se assustou com o estado de saúde do homem...Mas tudo está bem, quando acaba bem...mesmo que para isso seja necessário uma "panelada " na cabeça.

Um abraço

BaBy_BoY_sWiM disse...

Já agora... Acho que existe uma Conceição em todo o tipo de empregada domestica... Não é verdade?!

Nuno disse...

Bem....esta foi a única que conheci com nojo de mastigar, e que ia matando o marido com a panela de pressão...tirando isto, pode ser que sim.

Abração

Pink disse...

Gand'a panela de pressão!
E q excelente conselho deu a tua mãe à tal Conceição.
Quando comecei a ler o texto pensei logo n minha vizinha q tem o mesmo nome...mas veio casar c 1 do contenente.
Depois do q aconteceu à tal senhora, lembrei-me d 1 das minhas tias q estava a precisar q alguém lhe ofereça 1 panela daquelas..e q a tentasse convencer a utilizá-la como arma de defesa.
Em termos estatísticos, na ilha há mais violência doméstica d q no continente. Pq?
E pior..é o tratamento q a maioria nos machos-latinos-madeirenses dão às esposas e..às namoradas!!!
Vejo pela minha família e conhecidos.
Lamento é q hoje em dia ainda haja muitas Conceição mas q não dão aquele uso à panela de pressão!
Sorry o azedume, mas há dias assim. Um dia destes voltarei.
(e dizes q ñ tens histórias p preencher 1 livro!)
Até!

Nuno disse...

Bem aparecida Pink, é sempre um prazer apareceres para um chá. Azedume compreendido. Infelismente hoje há mais micro-ondas que panelas de pressão, e segundo parece, as panelas de pressão continuam a fazer falta a muitas mulheres...ou a muitos machos latinos.

Beijos...e aparece sempre

Laura disse...

Visitando, espiando o Nuno, e gostando.
Adorei a história da Conceição.
Eu tive uma Adelaide que comia cebolas à dentada, como fruta, e eu ria-me tanto!
Parece que as moças que vinham da provincia servir para Lisboa (credo! coitadas! viva o 25 de Abril!), tinham hábitos curiosos, não?
Beijos bem mastigadinhos

Nuno disse...

Seja bem vinda Laura, o chá já está frio, mas tomamos um Ice tea.
Engraçado (pela coincidência de nomes), que em simultâneo com a Conceição tínhamos uma Adelaide (que só tratava da roupa) e que era completamente surda. O nosso "desafio" (meu e de meus irmãos)era ver quem lhe conseguia contar uma história... Coisas de crianças.
Como os beijos já vinham mastigados, o Ice Tea fez o resto...

Beijos...vou visitá-la

blackstone disse...

Mais uma história a acrescentar ao seu futuro livro publicado.
"Nunices" - tb uma boa sugestão para o título da obra.
Pobre Conceição...
Mas fez-me deveras confusão imaginar alguém a engolir a comida sem mastigar!
Sem a poder saborear! Q horror..digo eu q adoro saborar ao pormenor cada refeição, sentir o aroma, depois mastigar com calma a decifrar os condimentos...
(pois, sou comilola)
Já agora, conta aventurar dos outros ou que os outros o fazem passar. Mas em criança não tinha as suas traquinices e disparates? Ou era o típico menino da titi bem comportadinho?
Venham mais histórias!
:)

Nuno disse...

Bem aparecida Blackstone,

Fazia-nos confusão a todos ver alguém engolir sem mastiar, de tal modo que minha mãe lhe deu aulas de "mastiganço".

Nunca fui um menino muito bem comportado, se bem que nunca fui um "delinquente"... fiz as minhas traquinices, que qualquer dia contarei...

beijo

Flávio disse...

lol Uma história incrível, espantosa mesmo. Nunca ouvi dizer de alguém que não mastigasse a comida por nojo. Bem pelo contrário, qualquer nutricionista recomenda uma mastigação demorada.

Nuno disse...

Flavio,

Fazia tempo que não nos "víamos". Bem aparecido. De facto o caricato da história é esse, nunca mais vi ninguém assim... e espero nunca mais voltar a ver. Como podes ver a conceição não jogava com o baralho todo...digo eu.

Um abraço